Início Gerais Cotidiano CURSO POPULAR DE SÃO JOÃO DEL-REI LEVA ESTUDANTES AO ENSINO PÚBLICO SUPERIOR

CURSO POPULAR DE SÃO JOÃO DEL-REI LEVA ESTUDANTES AO ENSINO PÚBLICO SUPERIOR

Por Arthur Raposo Gomes
Da Editoria

Foto: Ariane Stéfanie – arquivo pessoal

Nesta semana, milhares de jovens em todo o país iniciam um importante momento pessoal e profissional: o ingresso no ensino superior. É o caso da estudante Ariane Stéfanie da Silva, que tem 19 anos e é moradora do Bairro Tejuco, em São João del-Rei.

Mesmo tendo concluído o Ensino Médio em 2017, Ariane obteve uma boa nota na prova de redação do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) em 2019, alcançando 860 na avaliação. O Enem é a principal forma de ingresso nas universidades públicas.

Esse desempenho positivo, de acordo com a moradora do Tejuco, foi graças ao Cursinho Popular Edson Luís (CPEL), projeto vinculado à Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). “Eu assistia as aulas do cursinho durante a noite, entre 19h e 22h30, e no dia seguinte, tentava revisar a matéria e fazer alguns exercícios na parte da tarde. Aos finais de semana, eu fazia simulados do Enem e treinava alguns possíveis temas para a redação”, expõe a nova universitária sobre a sua rotina de estudos.

“AS AULAS NO CURSINHO FORAM ÓTIMAS. ACHO QUE O GRANDE DIFERENCIAL É QUE, ALÉM DAS AULAS DE CONTEÚDOS JÁ COBRADOS NO ENEM, ELES OFERECEM AULAS DE ATUALIDADES E DEBATES SOBRE DIVERSOS ASSUNTOS COTIDIANOS QUE POSSUEM ALGUMA RELAÇÃO COM A MATÉRIA. É MUITO IMPORTANTE TER ESSA NOÇÃO DE TUDO QUE ESTÁ ACONTECENDO, PORQUE O ENEM COBRA MUITO ISSO. ESSAS AULAS CONTRIBUÍRAM PARA O NOSSO PENSAMENTO CRÍTICO”

O tema da redação do Enem de 2019 foi “Democratização do acesso ao cinema no Brasil” e surpreendeu muitos estudantes. No entanto, Ariane conta que não ficou surpresa: “como eu sou muito fã de cinema, eu comentava sempre com os meus amigos sobre a importância do cinema e como seria interessante esse eixo temático para a redação”.

Expectativas para a nova fase

Ariane foi aprovada para o curso de Jornalismo na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). De mudança para a cidade de Divinópolis, onde o curso situa-se, ela admite estar empolgada com a graduação: “sempre gostei de expor a minha opinião sobre diversos assuntos. Então acredito que Jornalismo vai ser um curso muito interessante”.

No entanto, a animação do ingresso no curso superior veio junto com outra sensação. “É triste ter que morar longe da minha família por tanto tempo, mas estão todos muito animados, porque essa é uma ótima oportunidade”, confessa.

Conheça o Cursinho Popular Edson Luís

O Cursinho Popular Edson Luís faz parte de um projeto nacional do Levante Popular da Juventude, uma rede de cursinhos populares existente em todos os estados do Brasil que está presente em São João del-Rei desde 2014.

Atualmente, as atividades do CPEL ocorrem no Campus Dom Bosco da UFSJ, sendo um projeto de extensão da universidade, coordenado pela professora Jaqueline de Gramont, do Departamento de Ciências da Educação da instituição e que conta com a participação de discentes da UFSJ, ex-alunos e professores de outras instituições que atuam com docentes das disciplinas do Cursinho.

Os alunos do curso popular não pagam nenhuma taxa de inscrição ou de mensalidade para poderem participar das aulas.

Por dentro das aulas

De acordo com Maria Clara Silva de Souza, 22, recém-formada em Filosofia na UFSJ e colaboradora do CPEL, o Cursinho oferece aulas de todas as disciplinas e também realiza os “Encontros Críticos”: momentos em que discutem temas atuais sobre política, cultura e sociedade que podem ser assunto na prova do ENEM, servindo ainda para exercitar o pensamento crítico e o conhecimento para além dos conteúdos tradicionais e obrigatórios.

“A gente também realiza assembleias abertas para estudantes, professores e toda a comunidade, com a intensão dos alunos e familiares expressarem suas opiniões, críticas, dúvidas e sugestões em relação ao Cursinho”, comenta a graduada, ao explicar que a proposta do CPEL é que os próprios discentes colaborem na construção do Cursinho, a partir do momento que também entendem “o caráter político de transformação social e a redução da desigualdade por meio da educação”.

Foto: Bárbara Freitas

Ainda segundo Maria Clara, o CPEL não possui um público-alvo pré-definido quanto a sua faixa etária. No entanto, a maioria dos estudantes são jovens com idades entre 18 e 25 anos. “O perfil médio são alunos de escola pública, em anos finais do Ensino Médio ou já formados, que não têm condições de estudar em cursinhos particulares. Nossos educandos, muitas vezes, são trabalhadores e residem em bairros menos privilegiados”, revela.

Neste ano, o CPEL contribuiu para a aprovação de sete estudantes em cursos de graduação em diferentes faculdades do Brasil e até nos Estados Unidos.

A expectativa é que mais educandos do Cursinho sejam aprovados ainda na chamada presencial das instituições de ensino.

Serviço

Quem quiser saber mais e acompanhar as atividades do Cursinho Popular Edson Luís pode curtir a página do projeto no Facebook. O link está disponível aqui.

No momento, o CPEL está com vagas disponíveis para voluntários das áreas de administração, pedagogia, comunicação e psicologia. Mais informações pelo link.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui